Ministério da Saúde lança guia sobre Febre Amarela para profissionais de saúde

Ministério da Saúde lança guia sobre Febre Amarela para profissionais de saúde

O Ministério da Saúde atualizou recentemente os casos de Febre Amarela. De julho de 2017 até o dia 30 de janeiro foram confirmados 213 casos, sendo que 81 vieram a óbito. É importante que o profissional da saúde obtenha de fontes seguras informações sobre a doença, principalmente aqueles que atuam na área de risco, pois os sintomas da Febre Amarela são semelhantes a outras doenças comuns.

 

Leia também: Novos dados sobre casos de febre amarela são divulgados

 

O Blog da Saúde reuniu algumas informações importantes que podem auxiliar os profissionais de saúde no diagnóstico da doença.

Abaixo as principais manifestações clínicas e laboratoriais entre as fases da doença:
Leve/moderada
  • Sinais e sintomas: febre, dores de cabeça, mialgia, náuseas, icterícia ausente ou leve.
  • Alterações Laboratoriais: Plaquetopenia (plaquetas baixas) com elevação moderada de transaminase. Bilirrubinas (substância amarelada encontrada na bile) normais ou discretamente elevadas.
 Grave
  • Sinais e sintomas: Todos os sintomas da fase moderada, icterícia intensa, manifestações hemorrágicas, oligúria (produz pouca urina), diminuição da consciência.
  • Alterações Laboratoriais: Plaquetopenia intensa, aumento da creatina, elevação importante de transaminases.
Maligna
  • Sinais e sintomas: todos os sintomas clássicos da fase grave intensificados.
  • Alterações Laboratoriais: Todas da fase Grave. Coagulação intravascular disseminada.

 

Leia também: Site reúne informações sobre febre amarela para profissionais da saúde

 

E como agir em situação de suspeita?
  • Para identificar sinais de gravidade, questionar especificamente sobre a presença de hemorragias, características da diurese (volume e cor), presença e frequência de vômitos.;
  • História pregressa, incluindo histórico vacinal para febre amarela e dados epidemiológicos que possam indicar a necessidade de investigar diagnósticos diferenciais;
  • Aferição de pressão arterial (PA), frequência cardíaca, frequência respiratória, temperatura e peso.
  • Avaliação de Estado Geral
  • Exame físico completo com especial atenção para presença de pele e olhos amarelados, grau de hidratação, perfusão periférica, características da pulsação, sinais de hemorragias, avaliação do nível de consciência;
  • Realização de exames laboratoriais inespecíficos: hemograma, transaminases (TGO e TGP), bilirrubinas, ureia e creatinina, provas de coagulação, proteína urinária;
  • Coleta de amostras para exames específicos e envio para laboratórios de referência;
  • Notificação do caso: COMPULSÓRIA E IMEDIATA.

 

Faça o download do Guia com instruções para os profissionais da saúde clicando aqui

 

Atenção Bahia! Estaremos em Salvador ministrando o III Curso de Atualização Técnico-Científica sobre o Manual ONA OPSS Versão 2018

Inscreva-se Agora!

Fonte: Blog da Saúde

Faça seu comentário

Faça seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked.*

Arquivos

Categorias

Website Desenvolvido por Alt Comunicação

O IBES é uma empresa voltada para atividades de Diagnóstico e Acreditação de Organizações e Programas de Saúde, por meio do Sistema Brasileiro de Acreditação/ ONA (Organização Nacional de Acreditação) e pela Metodologia internacional ACSA.

NEWSLETTER